Natal – joão pessoa

bom dia gente! bom dia minha gertrudes!

hoje estou aqui no nordeste terminando o trecho de uma longa viagem que saiu la de betim em minas gerais, pra chegar la em natal no rio grande do norte.

nessa madrugada eu cheguei aqui pertinho de joao pessoa e agora estou na reta final do trecho. parei aqui no posto do seu jaime na 101 pra tomar um banho dar uma descansada, tomar um cafe da manha e seguir meu destino até a linda natal. Faz muito tempo que não apareço naquela cidade. da ultima vez a gente ainda subia no morro do careca pra descer escorregando, agora fiquei sabendo que nao pode mais. ponta negra me falaram que ja ta bem povoada, cheia de predios, deixou de ser aquela vilinha de pescadores que era uns anos atrás. mas me falaram também pra tomar cuidado que a vila de ponta negra tá um pouco violenta, culpa do tráfico de drogas.

ontem na estrada acabei vendo outro acidente com outro colega: um amigo carregando uma carreta repleta de baterias para serem recicladas acabou tomando na br perto de recife. uma pena. graças a deus o amigo nao se machucou, mas da uma dó ver aquele tanto de bateria quimica e prejudicial a saude e a natureza sendo espalhada daquela forma. As autoridades definitiavamente nao ajudam a vida do caminhoneiro – tudo fica nas costas da gente. reclamam que a gente toma remedio pra ficar alerta, mas as empresas que abusam do nosso trabalham nos multam ou nao nos pagam caso a carga nao chegue no dia. E nao adianta querer pegar uma folguinha na entrega nao – os caras sao sem dó! ou entrega na data ou arrumo quem entregue. E nao estão nem aí pra qualidade do caminhão, só querem saber do lucro e da velocidade na entrega. é foda!

Mas esse trecho da viagem é bem gostoso, bem bonito. faz um calor bem amigo e os motoristas desse canto do brasil são beem mais sossegados que os motoristas do sudeste que adoram buzinar e arrumar encrenca com caminhoneiro. aqui o povo é mais leve, mais bem humorado,  andam com menos pressa. deve ser o sol que faz isso com as pessoas – mexe com o humor delas e deixa todo mundo mais alegre. igual na bahia: dirigir na bahia é um sossego danado – ninguem te estressa, ninguem te corta atravessado… todo mundo te respeita, da farol e manda joinha!

hoje a saudade da minha família bateu forte ouvindo roberta miranda. Minha senhora, dona gertrudes, lá de sapopemba hoje me ligou, parece que sentiu meu coracao ficando apertado de saudade. ainda bem que a gente tem aquelas linhas que falam de graca, isso ajudou tanto a sentir menos saudade da minha familia… embora tenha dia que seja muito dificil. Alias, esse celularzinho aqui é danado de bom, é com ele que eu consigo fazer as atualizacoes desse blog. Meu filho deixou tudo configurado pra mim e me ensinou como mexer. É bem simples. to gostando bastante, depois de todos esses anos viajando pra la e pra ca, de usar esse mundo virtual pra ficar mais perto da minha familia mesmo de longe! é muito gostoso!

mas enfim, hoje dona gertrudes me ligou e colocou miguelzinho pra falar no telefone comigo. Miguelzinho é o meu caçula que tá com dois aninhos de idade. um querido. ja ta falando uma porção de coisa já, pena que eu fique tao longe dele nesses momentos em que ele aprende tanto em tao pouco tempo. mas enfim, essa é a vida que escolhi, vida de caminhoneiro, e é assim que eu sustento todos eles. entao o momento é de sentir orgulho junto com essa saudade, e nao pena. Levantar a cabeça e saber que daqui umas duas semanas estaremos todos juntos fazendo um churrasquinho no quintal de casa!

agora ta chegando a hora. terminando o café da manha bora de volta pra cabine pra seguir meu rumo até a cidade do sol, a linda natal que ha tanto tempo eu nao visito. é difícil pintar trabalho pra cá, geralmente eles ficam concentrados entre os caminhoneiros do nordeste. mas como eu nao sou homem de negar serviço, cá estou eu aqui na BR101, lá no finalzinho dela, pronto pra entregar minha encomenda e pegar meu dinheiro pra voltar pra minha terra e descansar um pouco. tentar pegar algum trabalho no roteiro de volta, seria muito bom. Mas esse trabalho aqui já pagou bem o suficiente pra eu voltar com a carreta tranquila e leve pra casa! seja como for, pé na tabua!

Beijo Gertrudes!