Ah meu Brasil

Amizades, me permitam uma ponderação. Ontem pela manhã compartilhei uma postagem em que eu questionei a espontaneidade de uma manifestante que no dia 13/03 supostamente foi coagida a participar das mobilizações pelo impeachment de Dilma.

Algumas pessoas me chamaram atenção nesta postagem para o fato de que não havia foto da entrevistada e que a mesma notícia fora postada em um blog (mais opinativo etc) e não no portal do jornal. Sem desmerecer obviamente o redator do blog, procurei outras fontes e todos os portais de esquerda referendavam a notícia linkavam para esse mesmo blog. Dada a circularidade da informação, passei a duvidar da veracidade do que postei, mas não descarto a hipótese de ter havido pessoas que sofreram alguma pressão para estar lá. Da mesma forma que também reconheço que as mobilizações de ontem foram impulsionadas por alguns movimentos sociais que estão intimamente cooptados pelo PT. Dito de outra maneira, se procurar bem, vamos encontrar problemas nos dois lados, e daí tomar a defesa de um ou de outro e uma questão de escolha. E dela, no momento prefiro me abster.

Mas é preciso vir aqui e reconhecer o erro de ter postado essa ‘barriga’, pra ficar no jargão dos meus amigos jornalistas.

Sobre os protestos, reconheço que muitos foram para a avenida no domingo para mostrar sua indignação contra a corrupção, tanto quanto ontem, mas nesses casos, é preciso olhar mais de perto e ver como se reivindica cada pauta: Não querendo desmerecer também os manifestantes (pois não fui para nenhuma das duas marchas), sei que muitos foram domingo para defender o impeachment de Dilma e a prisão de Lula, mas sei de muitos que foram para mostrar sua indignação contra a corrupção, que como já disse outras vezes, alcança a maioria dos partidos e não apenas o PT, como muito se sugere nas redes. Isso não é uma defesa, mas uma observação.

Do outro lado, vejo também que muitos movimentos sociais independentes estiveram ontem nas ruas para criticar os métodos do juiz Moro e como a condução da operação lava jato está sendo aos poucos canalizada para fins mais políticos que propriamente jurídicos. Não se tratam de fins neutros e independentes, mas a forma como as narrativas tem sido trabalhadas pela grande (e pequena) imprensa, mostra que essa apuração dos fatos vem sistematicamente evidenciando o governo em detrimento da oposição, que sabemos estar tão comprometida quanto. Não podemos ignorar que uma boa parte destes sindicatos e movimentos que estiveram presentes ontem estão intimamente conectados ao PT e isso me faz questionar também a legitimidade da marcha de ontem. E isso é também uma observação.

Observem que não há absolutamente nenhuma isenção nesse texto. Tenho minhas escolhas e sei reconhecer quando algo não me vai bem. E nenhum dos dois lados me inspira confiança.

Nem todos que se mobilizaram no domingo para criticar o governo são coxinhas, viúvas de caserna e alienados (como li nas redes), como também os que ontem estiveram nas ruas também não eram pães-com-mortadela, bolivarianos black-blocks e vagabundos que defendem o governo e apoiam Lula.

Insisto. Que todos sejam julgados. Todos sejam punidos e que cada um responda pelos seus erros. Que os juízes julguem e punam, que a polícia investigue e a imprensa faça seu papel de apuração das notícias. Sem partidarizar a discussão. Sem heróis ou vilões. Quero, como todos os brasileiros, que a justiça seja feita e que o país volte a se desenvolver.